No primeiro trimestre de 2024, reformaram-se 1048 professores. 

1048 Docentes que não viram o seu tempo de serviço recuperado.

1048 Professores que deixaram de ter uma voz ativa nas mesas negociais.

E o que propomos? 

“60 dias para obter uma resposta, por parte do Ministro da Educação!”

Mas que raio de proposta é esta? 

60 dias para estudarem dossiers que já foram mais do que debatidos e analisados?

60 dias para conhecerem as delegações sindicais e ouvir as suas reivindicações?

60 dias para o ministro das finanças contradizer o que oralmente disse o Ministro da educação na 24 de julho, demonstrando, mais uma vez, que estas mesas negociais são um embuste?

60 dias para assistir a mais 1000 professores entrarem na reforma sem os seus legítimos direitos recuperados?

Estamos a brincar com coisas muito sérias!!!!!! 

Não aceitamos meias palavras, ou adiamentos negociais. 

Queremos uma resposta concreta, objetiva e por escrito acerca da recuperação do tempo de serviço!

Exigimos dos nossos representantes sindicais que, numa eventual resposta evasiva por parte da tutela, abandonem imediatamente a mesa negocial e reúnam com os seus associados, para uma concertada resposta de luta e afirmação dos nossos direitos. 

Dia 3 de maio é o limite!

#paguemoquenosdevem

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *